Mercado distribui sacolas plásticos que envergonham clientes

09/06/2019


Ideia do East West Market, em Vancouver, é alertar sobre preservação ambiental e incentivar uso de sacolas reutilizáveis.

mercado vancouverAs sacolas plásticas são um enorme problema para o meio ambiente. Pesquisas indicam, por exemplo, que um milhão de sacos plásticos são consumidos a cada minuto.

Confira as últimas novidades do varejo aqui.

Leia também: Corona faz promo para combater lixo plástico nas praias.

Mesmo que tenha sido planejado como um facilitador da nossa vida, o objeto causa grande degradação por não serem comumente reutilizados e por não serem biodegradáveis.

Na atual década, portanto, pessoas e órgãos começaram a conscientizar a sociedade da importância de buscar alternativas para objetos que facilitem carregar múltiplos itens.

Surgiram, por exemplo, as sacolas reutilizáveis personalizadas, item hoje bem visto em boa parte do mundo, mas que ainda não é utilizado em grande escala.

mercado vancouver

Em Vancouver, um mercado de bairro decidiu fazer algo para incentivar o uso de sacolas.

O East West Market está distribuindo apenas sacolas plásticas com frases embaraçosas para seus clientes. “Muitas pessoas possuem sacos reutilizáveis mas se esquecem de trazê-los.”, afirmou David Lee Kwen, dono do estabelecimento, explicando que a ideia é incentivar os consumidores a ter o assunto em mente e lembrarem de utilizar seus sacos reutilizáveis.

As sacolas trazem frases que sugerem que o consumidor estava em outros estabelecimentos. Uma delas traz uma marca falsa chamada “Into the weird Adult Video Emporium” (algo como “Dentro do estranho Empório do Vídeo Adulto”, sugerindo que a pessoa que carrega esta sacola estava em algum tipo de locadora pornográfica).

Os itens são vendidos por cinco centavos cada e têm como objetivo abrir o diálogo sobre preservação ambiental por meio da questão das sacolas plásticas. Se funcionou ou não, só o mercado pode dizer, mas pelo menos estão tentando.

Fonte: Redação.

TAGs: marketing-social meio-ambiente ponto-de-venda