Lego em Braile chega ao Brasil em 2020

01/05/2019


Motivados por histórias e ideias vindas de pessoas com deficiência visual ao redor do mundo, a Lego Foundation e o Grupo Lego irão capitanear uma inovação que ajudará crianças cegas a aprender brincando usando peças Lego.

A Lego Foundation e o Grupo Lego anunciaram seu suporte ao projeto pioneiro que ajudará crianças cegas e com baixa visão a aprender Braille de maneira divertida e encantadora usando as peças Lego customizadas para o Braille.

Leia também: Lego abraça a ideia do "Braille Bricks".

O projeto, denominado Lego Braille Bricks, foi apresentado durante a ‘Conferência de Marcas Sustentáveis’ em Paris, França.

O conceito por trás do Lego Braille Bricks foi primeiramente proposto para a Lego Foundation em 2011 pela Associação Dinamarquesa, e novamente em 2017, pela Fundação Dorina Nowill para Cegos do Brasil, cuja mobilização “Braille Bricks for All” teve repercussão internacional e possibilitou o acordo para a produção do produto.

Desde então, foi moldado em estreita colaboração entre as associações da Dinamarca, Brasil, Reino Unido e Noruega, e os primeiros protótipos estão rodando nestes países para testes de conceito.

“Com milhares de audiolivros e programas de computador disponíveis, cada vez menos crianças estão aprendendo a ler em Braille.”, afirma Philippe Chazal, tesoureiro da União Europeia de Cegos.

“Isso é particularmente crítico quando entendemos que as pessoas que usam o Braille com mais frequência são mais independentes, possuem um nível mais alto de educação e melhores oportunidades no mercado de trabalho. Acreditamos fortemente que o Lego Braille Bricks ajudará a dar um impulso no interesse em aprender o Braile, por isso nos sentimos honrados com o envolvimento da Lego Foundation tornando possível a disseminação desse conceito para crianças ao redor do mundo.”, completa Chazal.

O Lego Braille Bricks será moldado com a mesma quantidade de pontos em relevo usados nas letras e números do alfabeto Braille, permanecendo totalmente compatível com o sistema Lego.

Para garantir que a ferramenta seja inclusiva e permita que os professores, alunos e membros da família sem a deficiência interajam em termos iguais, cada peça também terá uma letra ou um caractere impresso.

Esta combinação engenhosa traz uma abordagem totalmente nova e divertida para que crianças cegas e deficientes visuais se interessem em aprender Braille, permitindo que desenvolvam uma ampla gama de habilidades necessárias para prosperar e ter sucesso em um mundo dinâmico.

Para Ika Fleury, presidente do Comitê Braille Bricks da Fundação Dorina Nowill para Cegos, “O Braille ainda é a única maneira de alfabetizar uma criança com deficiência visual e o Lego Braille Bricks é uma ferramenta inovadora, que colabora efetivamente para o aprendizado inclusivo, envolvendo não só as crianças cegas e com baixa visão, mas também os colegas videntes. Esse lançamento tem ainda um significado muito especial porque, nesse ano, a nossa fundadora Dorina Nowill completaria 100 anos de vida. Seu centenário será marcado por esse grande presente que a Fundação Dorina entrega para todas as crianças com deficiência visual do mundo: a oportunidade de aprender no sistema braille, ao mesmo tempo que se relacionam e se divertem com os demais colegas. E o programa vai além, ele também alcança professores, educadores e pais, que poderão usufruir de forma lúdica e pedagógica esse grande instrumento que a Fundação desenvolveu.”

Diretor de Arte Sênior da Lego, Morten Bonde, - que sofre de um distúrbio genético nos olhos que está tornando-o gradualmente cego -, trabalhou como consultor interno no projeto. O executivo está determinado a não permitir que isso o limite.

“Vivenciar as reações dos alunos e professores perante o Lego Braille Bricks foi extremamente inspirador e me lembrou que as únicas limitações que encontrarei na vida são aquelas que eu crio em minha mente. O nível de envolvimento de crianças e seu interesse em serem independentes e incluídas igualmente na sociedade é muito evidente. Fico emocionado ao ver o impacto que este produto tem no desenvolvimento da confiança acadêmica e na curiosidade de crianças cegas e deficientes visuais em seu período de alfabetização.”, declara Morten.

O produto está sendo testado em dinamarquês, norueguês, inglês e português, enquanto o alemão, espanhol e francês serão avaliados no terceiro trimestre de 2019.

A versão final do kit deverá ser lançada em 2020 e distribuída gratuitamente para instituições selecionadas por meio de parceiros participantes nos mercados onde os testes estão sendo realizados.

Serão aproximadamente 250 peças cobrindo o alfabeto completo, números de 0 a 9, símbolos matemáticos selecionados e inspiração para o ensino e jogos interativos.

Segundo John Goodwin, CEO da Lego Foundation, “Crianças cegas e deficientes visuais tem sonhos e aspirações para o futuro assim como qualquer outra.”

“Elas têm o mesmo desejo e necessidade de explorar o mundo e socializar por meio do brincar, mas muitas vezes enfrentam o isolamento involuntário das atividades como consequência. Na Lego Foundation, acreditamos que as crianças aprendem melhor por meio do brincar e, por sua vez, desenvolvem uma gama de habilidades como a criatividade, colaboração e comunicação. Com este projeto, estamos trazendo uma abordagem lúdica e inclusiva para o aprendizado de Braille para esse público. Espero que crianças, pais, cuidadores, professores e profissionais em todo o mundo estejam tão empolgados quanto nós. Mal podemos esperar para ver o impacto positivo que causará.”, finaliza Goodwin.

 

Fonte: Redação.

TAGs: lego lego-braile-bricks marketing-social