Canal
Mkt Social

Burger King doa lucro da venda no Dia do Orgulho LGBTQIA+

Por: Redação. 28 de Junho de 2020

No Burger King todos são bem-vindos e essa é uma mensagem muito reforçada pela marca. 

Após ser alvo de haters por conta de suas ações a favor da comunidade LGBTQIA+, a rede de fast food transformará a intolerância, muito disseminada no universo digital por meio da hashtag #QuemLacraNaoLucra, em um movimento viral de amor.

O melhor do marketing social está aqui.  

Leia também: Burger King vai presentear quem ficar em casa.

O BK decidiu provar que quem lacra não lucra mesmo, e, no próximo domingo (28), Dia Mundial do Orgulho LGBT+, destinará 100% do lucro líquido das vendas de seus sanduíches para a Casa 1 Associação do Orgulho GLBT (APOGLBT). 

O projeto #QuemLacraNaoLucra foi desenvolvido em parceria com a David. Assista ao filme criado pela agência para divulgar a iniciativa e engajar o maior número de pessoas na causa:

Caso não consiga visualizar clique aqui.

“Transformar essa intolerância em uma mensagem positiva para a comunidade é uma oportunidade de reforçar nossa crença em uma sociedade igualitária e livre de preconceitos, que abraça e respeita todas as pessoas, independente de identidade de gênero e orientação sexual, religião e etnia.”, reforça Ariel Grunkraut, vice-presidente de Marketing e Vendas do BK

Neste mês, o Burger King também comemorou sua terceira participação e patrocínio à Parada do Orgulho LGBT+, consagrada com a participação da cantora e dançarina Pepita, travesti referência na caminhada em prol da igualdade. 

Além disso, a rede de fast-food se uniu à Uber Eats para o lançamento da iniciativa “Orgulho que Multiplica“, em que, entre os dias 22 e 28 de junho, parte da receita obtida com as vendas do Combo do Orgulho (Whopper ou Rebel Whopper), será doada para ONGs que apoiam a comunidade LGBT+ no país. A cada R$1 doado de parte das vendas do BK, a Uber Eats doa mais R$1.  

 

 

 

Tags: Responsabilidade Social | varejo | Burger King | comunidade LGBTQIA+ | Dia do Orgulho LGBTQIA+