Canal
Esportes

Ítalo Ferreira vence Gabriel Medina em final épica

Por: Redação 23 de Dezembro de 2019

O surfista Ítalo Ferreira conquistou seu primeiro título mundial na Championship Tour da World Surf League (WSL) na quinta-feira (19), ao brilhar na etapa de Pipeline do Circuito Mundial, no Havaí.

Ele levou a melhor sobre seus adversários na última etapa da temporada organizada pela WSL (Liga Mundial de Surfe, da sigla em inglês) e faturou o cobiçado troféu, deixando fortes rivais para trás, como os brasileiros Gabriel Medina e Filipe Toledo, o sul-africano Jordy Smith e o norte-americano Kolohe Andino, que iniciaram o evento também com chances.

"Eu não acredito. Era o meu sonho, lutei minha vida toda por isso. Dedico para minha avó e meu tio que morreram faz pouco tempo.", afirmou o surfista, aos prantos, bastante emocionado. Ele superou Medina na final da competição, e, com isso, confirmou o primeiro título mundial em seu currículo. "O Gabriel é um grande competidor, parabéns para ele que brigou até o fim. É incrível isso estar acontecendo.", continuou.

O título coloca Ítalo na pequena galeria de campeões mundiais e um dos poucos brasileiros a conseguir tal feito. Além dele, Gabriel Medina tem duas taças (2014 e 2018) e Adriano de Souza, o Mineirinho, uma (2015).

O resultado ainda mostra a força da "Brazilian Storm", como essa geração de surfistas nacionais é chamada. Nos últimos seis anos, em quatro o Brasil foi campeão - as outras duas foram vencidas pelo havaiano John John Florence.

A conquista de Ítalo Ferreira veio da maneira mais emocionante possível. Ele passou por Jadson André, Peterson Crisanto, Yago Dora e Kelly Slater até chegar à final. Do outro lado da chave, Medina superou Imaikalani deVault, Caio Ibelli, John John Florence e Griffin Colapinto. Só que na disputa entre os dois brasileiros, na final, Ítalo levou a melhor, ganhando por 15,56 a 12,94 e fez a festa nas areias de Pipeline com sua torcida.

O título coroa uma ótima temporada de Ítalo, que também colocou em sua galeria de conquistas um outro importante troféu em 2019: o do ISA Games, em Miyazaki, no Japão, quando superou surfistas do mundo inteiro para ficar com a medalha de Ouro no evento que serviu para sentir as ondas do país que receberá os Jogos Olímpicos de Tóquio - 2020.

Lá, Ítalo protagonizou uma das melhores histórias do ano. Ele teve o passaporte furtado nos EUA, precisou correr contra o tempo para tirar nova documentação, ter o visto japonês e chegar ao local de competição. Quando desembarcou no aeroporto de Miyazaki, sua bateria estava na água. Deixou suas malas para trás, pegou carona, chegou à praia sem equipamento, pegou uma prancha emprestada com Filipe Toledo e se classificou. Depois disso, deu um show nas fases seguintes e foi campeão.

Já na primeira etapa do ano do Circuito Mundial de Surfe, em Gold Coast, ele foi campeão e começou com o pé direito. No evento seguinte, em Bells Beach, também na Austrália, acabou caindo nas quartas de final. Já a terceira parada foi em Bali, mas ele não teve um bom resultado em Keramas.

Com um desempenho um pouco irregular, Ítalo acabou sendo eliminado para o havaiano John John Florence em Margaret River nas quartas de final. A ducha de água fria veio em casa, na etapa de Saquarema, no Brasil, quando ele deu adeus cedo à disputa ficando apenas na 17ª posição da etapa brasileira.

Com resultados não tão bons, ele sabia que precisava reagir no Circuito Mundial de Surfe e foi isso que fez na África do Sul, ao chegar à final e perder apenas para Gabriel Medina. Na sequência, no Taiti, obteve um 17º lugar e no evento seguinte, na piscina de ondas de Kelly Slater, na Califórnia, ficou na nona posição.

Após esses resultados não tão empolgantes, Ítalo quase jogou a toalha, mas reuniu forças e partiu cedo para a Europa, a fim de reagir na temporada. Na disputa em Hossegor, na França, foi vice-campeão, perdendo a decisão para Jeremy Flores, e depois, em Peniche, ganhou o evento português e chegou ao Havaí como líder do ranking mundial.

Vestindo lycra amarela, ele teve o experiente Shane Dorian como conselheiro em Pipeline, aproveitando as dicas do surfista local para se dar bem nos tubos do North Shore havaiano. E com a boa performance nas ondas mais famosas do mundo, Ítalo conquistou seu primeiro troféu de campeão mundial da Championship Tour da World Surf League e já avisou que quer mais.

Tags: evento-esportivo | mundial-de-surfe