Promoção

A retomada dos 10 mandamentos


24 de Junho de 2020

No novo normal, antigos mandamentos estão voltando à tona. Valores como solidariedade, propósito, verdade, respeito estão novamente aflorando nas pessoas ,e, por consequência, nas empresas. 

O lado humano está ressurgindo, talvez por um período apenas, mas espero que não.

Na nossa praia, o live marketing, também temos mandamentos antigos e que valem muito a pena relembrar. 

Na década de 1970, João de Simone Ferracciù teve a coragem de escrever um livro sobre “Promoção de Vendas”. Acho que foi o primeiro, pelo menos no Brasil.

Entre muitas coisas interessantes e úteis, ele criou Os 10 Mandamentos da Promoção, que tomo a liberdade de reproduzir e o desplante de comentar, abaixo.

1.       Não tente executar aquilo que os outros componentes do marketing fazem melhor

a.       É comum a tendência de usar as ferramentas mais conhecidas ou mais “em moda” para solucionar problemas. Só que, nem sempre, é o melhor caminho. Dependendo dos objetivos e do cenário onde se está atuando, ferramentas diferentes de marketing podem ser mais efetivas, tais como, alteração de comunicação ou embalagem, melhoria de distribuição etc.

2.       Ser a melhor alternativa para atingir os objetivos

a.       Este mandamento é quase que uma confirmação do anterior. É preciso estar seguro que a promoção é a melhor solução, para não colocar na ferramenta expectativas que ela terá mais dificuldade para alcançar.

3.       Obter o máximo efeito pelo menor custo 

a.       Este é um mandamento básico para muitas coisas na vida. Mas é preciso ter cuidado com a sua interpretação. Nos últimos tempos, apenas a segunda parte dele tem sido usada, e de maneira desenfreada, mesmo que em detrimento de outros atributos, tanto técnicos quanto de qualidade, com consequentes prejuízos para a ação.

4.       Estar de acordo com os padrões de comportamento daqueles para os quais é destinada e de acordo com a imagem da marca

a.       Muito importante: a promoção deve estar adequada aos padrões do nosso consumidor e à imagem da nossa marca e não apenas ser encarada como uma ferramenta de vendas rápidas. Cuidado com o excesso de apelo, que pode provocar frustração em lugar de satisfação no cliente.

5.       Atrair a atenção e provocar ação de aceitação

a.       Diferente da propaganda, que gera desejo, a promoção tem como fator primordial gerar ATITUDE. Fazer com que o nosso consumidor se mexa e que esse movimento se transforme em venda, seja de um produto ou serviço, seja de um conceito.

6.       Ser simples, clara, fácil de entender 

a.       É preciso muita disciplina para acabar com o que chamo de “Síndrome de Jaques”. Aquela famosa frase: “Jaquestamos fazendo isso, vamos também aproveitar para...” Estes “aproveitamentos” acabam por tornar a mecânica difícil de ser entendida pelo nosso alvo e resulta em baixa adesão. Ela pode ser beirar a perfeição para o dono do produto. Só que ela tem que ser perfeita para o participante e não para o profissional de marketing.

7.       Utilizar tantos apelos emocionais quanto racionais 

a.       Inteligência e sentimentos devem andar juntos. Um complementa o outro, e, intuitivamente, as pessoas sabem disso. Nós é que não podemos nos esquecer.

8.       Ser única, singular, exclusiva 

a.       O ineditismo é importante, sim. Pode ser uma mecânica inédita, pode ser um prêmio inédito. Pode ser até mesmo uma forma de comunicar inédita. Mas a promoção precisa ter uma identidade única, para que seja percebida e desejada pelo consumidor.

9.       Ser honesta, evidentemente honesta

a.       Não basta a ação ser honesta; ela precisa PARECER honesta aos olhos de quem a vê. Letras miúdas, asteriscos, explicações complicadas não demonstram honestidade, ao contrário, deixam uma sensação de que se está tentando esconder algo. Isto é fator importante para espantar os possíveis participantes. Pense assim: Você gostaria de participar da sua promoção? Isso ajuda a perceber um pouco melhor onde estão os possíveis pontos de atrito. 

10.   Ser suficientemente desejada por todos de quem seu sucesso dependa, recebendo por parte da empresa total apoio e que a equipe de funcionários, principalmente a de vendas, perceba e imite

a.       Se a própria equipe interna não acredita ou não se empolga com a ação, como esperar que quem é de fora e não participou do seu processo de criação se envolva com ela? É simples assim.

Acho que não preciso dizer mais nada além de desejar saúde para todos nós.

 

Tags: artigo | marketing promocional | Antonio Salgado Neto | mercado de live marketing